#asagadesernoiva #casada #the first #aquinta

Quinta da Velha, Crestuma

#BIGDAYRV
Comidinha boa!
Podia ser já um agora!
Parece um quadro!
O fit também esteve lá.

E para primeiro assunto deste leque de posts que vão sair sobre o casamento, começamos pela Quinta!
The Choice: Quinta da Velha, em Crestuma.
É de calcular que me vou desmanchar em elogios mas também não tenho outra hipótese, foi tudo demasiado perfeito que só pode ser desta forma.
A escolha foi fácil depois três visitas a quintas que fizemos.
Na semana que fui pedida em casamento, já tinha para o fim-de-semana seguinte visita a duas quintas. Se era para casar então era andar com o assunto!
Fomos a duas quintas em sítios completamente opostos mas que nenhum nos encheu completamente as medidas, faltava sempre qualquer coisa.
Minto! Para nós tinha era coisas a mais!
Era o espaço que não tinha uma vista desafogada, lagos que não queríamos porque tínhamos algumas (modesta que eu sou) crianças, brilhos em tudo que era sitio, candeeiros a puxar ao mais clássico possível e decoração que não era mesmo o nosso gosto.
E a Quinta da Velha tinha ficado de parte porque tínhamos escolhido a data para casamento a 23 de Junho e já não havia nenhuma disponibilidade mas havia para dia 22!
Esquecemos a Quinta da Velha (achava eu) até que na segunda visita desse fim-de-semana, mesmo antes de sermos recebidos, o meu carissimo marido diz: “Liga à Isabel da Quinta da Velha e pede-lhe para nos mandar as condições. Eu até nem me importava de casar a 22”. Eu até pensei que ele estava louco porque eu andei UMA SEMANA a ver disponibilidade e orçamentos para marcar visitas!
Mas como boa esposa, lá aceitei a sugestão.
Segunda visita feita, contacto com a Isabel feito, os dois já a voltar para casa e foi aí a decisão. Casamos na Quinta da Velha e no dia 22 de Junho!
Saga seguinte, mudar o dia da cerimónia e na esperança que não tivesse de mudar a hora. Correu bem!
O nosso maior receio na escolha da quinta era essencialmente o espaço e a comida. Escolher uma quinta que nunca tínhamos ido era arriscado.
E visto assim até parece uma coisa de pobre, “Ah só vou casar numa quinta que já fui lá”, verdade. Mas caros amigos, a essa data já tínhamos um cadastro de mais de dez casamentos em cima do lombo, por isso o leque de escolha era grande.
Espaço maravilhoso, vista desafogada para o Douro, salão simples e sem salamaleques, comida e bebida do nosso agrado, sobremesas maravilhosas, ceia do melhor que há e com a Isabel a ajudar-nos em tudo e mais alguma coisa!
Tínhamos imensos serviços incluídos o que acho que ajuda imenso na organização! Espaço, catering, decoração interior e exterior, animação com três hipóteses à escolha, animadores para as crianças, insufláveis e fogo de artificio.
Mas sempre com a facilidade de darmos o nosso cunho mais pessoal à festa. Aproveitamos essa hipótese para no espaço exterior criar um cenário maravilhoso e onde aproveitamos para tirarmos as fotos com os convidados.
Correu tudo ainda melhor do que alguma vez esperávamos!
No dia, tivemos constantemente o Miguel (o Chefe de Sala) connosco e que nos ajudou imenso com tudo que seria mais ou menos protocolo e horários.
Só tivemos o azar de no momento do corte do bolo chover e não conseguimos fazer cá fora como queríamos mas achamos que ficou igualmente bem!
Nem sei muito bem escrever-vos como foi bom ser assim tão bem tratada! <3
Recomendo a 1000% tudo!
Obrigada Isabel por teres aturado mais uma noiva com questões às 2h de manhã, se fosse preciso!
Foi tão bom como inesquecível! Repetia tudo igual, no mesmo sitio e vezes sem conta!
Dá para festejar os anos de casados no mesmo sítio?!

Fotos: Eternal Moments Produções



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *